Qual óleo devo usar?

Semana de assuntos delicados em nossa oficina.. hoje vamos falar um pouco sobre óleo de motor. Qual devo usar?

É um assunto que causa muita polemica nas oficinas e entusiastas há anos. Somos céticos neste aspecto e acreditamos na mais simples das respostas para a pergunta “qual óleo devo usar?”. A resposta correta está no manual de cada veiculo. O manual do proprietário é criado com base no motor, clima, aplicação do veiculo e sua tecnologia. Não existe um “óleo melhor” do que o indicado no manual. Infelizmente as pessoas acabam seguindo informações de terceiros ou conceitos antigos, como aumentar a viscosidade do óleo para motores com mais do que 50.000km. Hoje os motores passam dos 200.000km…  imaginem a cada 50.000km aumentar a viscosidade desde óleo? Aos 200.000km usaremos o quê? Não faz muito sentido nos motores atuais. Ao fazer a pergunta para o Google sobre o “melhor óleo”, qual risco existe?

Ao usar um óleo diferente do especificado, a primeira coisa que acontece é a mistura de produtos. Seja viscosidade ou tipo ou aplicação do óleo, já vai haver mistura. Essa mistura pode passar pelo motor sem maiores problemas em alguns casos, mas em outros, podem propiciar a criação de borras já na primeira partida. O óleo de motor tem especificações como viscosidade, temperatura de trabalho e composição. Ao misturar um óleo mineral com um sintético ou vice versa, a composição do produto final (da mistura) pode engrossar ou afinar, obstruir ramificações dentro do motor, ou vazes, levar mais tempo para subir e lubrificar o motor.

Em todos os casos, o motor vai ter algum nível de comprometimento. O primeiro sintoma é o aumento de combustível seguido pela falta de performance. E não estamos falando de motores em alta velocidade e muitos RPMs, estamos falando de partidas mais demoradas, vibração, falta de força, engasgos, consumo excessivo de óleo, comprometimento de catalizadores, folga nas válvulas de admissão até pane total do motor. Este é o pior quadro possível. O mais caro e mais trabalhoso, pois pode ser necessário refazer a usinagem do motor, trocar peças internas… não vale o risco.

Sem contar que o óleo ideal é muito melhor do que o “melhor óleo”. Independente de qual seja a composição do óleo, o óleo ideal para o seu motor vai atender todas os requisitos necessários, nem mais, nem menos.

Outro erro comum é a troca do óleo sem a troca do filtro de óleo. O filtro armazena aproximadamente 500ml de óleo. Reserva que pode sujar o óleo novo prematuramente ou em caso de produtos diferentes, fazer a “mistura” indesejada.

Uma situação muito comum é parar no posto para abastecer e o frentista verifica que o nível do óleo está baixo. Muitas vezes isso acontece com o carro super quente que acabou de parar, neste momento o óleo está “espalhado” no motor, como deveria ser. Ao medir, não se surpreenda se o nível estar um pouco baixo. É uma leitura incorreta. O correto é medir o nível do óleo com o motor frio ou pelo menos parado há mais de 15 minutos.  É o tempo mínimo para que todo o óleo desça para o carter, onde será feita a medição. Ao parar e medir o nível do óleo, você pode se deparar com um motor que falta “mais de meio litro”, pois a leitura está errada. O segundo erro é “completar” o óleo. Neste momento é muito comum que o frentista literalmente saque do bolso um litro de “óleo X” (normalmente da mesma marca que a bandeira do posto), informar o preço e “completar”. Muito prático, você está ali, o capô está aberto, o óleo na mão… mas não. Se você for informado sobre óleo baixo, não se desespere. O óleo não seca da noite para o dia e se o nível está baixo, não baixou de repente. e não vai secar de repente. Você pode rodar até nossa oficina ou um centro de trocas.

Já recebemos clientes com o óleo que sobrou depois de completar no posto e notamos com frequência duas coisas, sendo: A quantidade de óleo restante chega há 80 70% do volume da garrafa, ou seja foi adicionado pouco óleo ao motor, apenas o bastante para criar a mistura. E a segunda, mas não menos importante é a viscosidade ou composição diferente do correto.

Dicas deste artigo:

  • O melhor óleo é o indicado no manual de cada veiculo.
  • Não complete o óleo sem absoluta certeza que trata-se exatamente do mesmo produto
  • Faça a medição do óleo com o carro frio ou parado há pelo menos 10 minutos
  • Troque sempre o óleo com o motor quente
  • Sempre troque o filtro de óleo junto com o óleo

Dúvidas? óleos sintéticos, semi-sintéticos ou minerais??

Venha nos visitar. Vamos orienta-lo e se necessário fazer a troca do óleo de maneira correta com o melhor preço da região.

Sua oficina de confiança? São José Pneus 🙂

 

  • Compartilhe